comentar
publicado por O-live, em 24.01.09 às 21:43link do post | favorito

A invasão de Israel à Palestina depois do conflito Árabe-Israelita (1948-49) originou a fuga de mais de um milhao de refugiados palestinos.

Israel tenta estrangular a economia palestiniana, obriga o povo palestiniano a consumir produtos fabricados em Israel e impede o comercio de produtos palestinianos fora dos territórios ocupados.

Hoje, 60% dos palestinianos vivem abaixo da linha de pobreza.

Desde a segunda Intifada, o exercito Israelita já feriu mais de 27 mil palestinianos e assassinou mais de 5000.

Que fariam voces se fossem expulsos de casa sem direito a nada? Pisando a vossa cultura e submergindo-vos em indignidade?

O DAVID PASSOU A SER O GOLIAS

 

Mas o povo da Palestina resiste!

Viva palestina Livre!

Intifada! - a diferença entre a guerra de libertação palestiniana e a guerra de ocupação israelita!

Viva ARAFAT!

 

música: Intifada1 - Ska-p

comentar
publicado por O-live, em 24.01.09 às 21:29link do post | favorito

Uma boa infancia não nos serve de nada.

 

André Oliveira


comentar
publicado por O-live, em 24.01.09 às 18:08link do post | favorito

"Se podes olhar, vê.

Se podes ver, repara."

José Saramago


comentar
publicado por O-live, em 24.01.09 às 17:49link do post | favorito

Nos tempos que correm, inumeros cientistas procuram substituir a gasolina por água, isto é, investigam novos combustiveis para combater o uso de gasolina. Inumeros desenvolvimentos têm sido feitos, por exemplo, no bio-etanol ou nos carros eléctricos.

Infelizmente, os cientistas são cientistas e não sociólogos ou filosofos, enfim, não têm culpa, é a profissão deles.

Toda a gente sofre com o aquecimento global, e toda a gente sonha com a invenção de uma solução viável à gasolina e ao gasoleo, porém, ninguem analisa o mal pela raiz.

O mal de toda esta poluição e degradação do ambiente não é originado da gasolina, é originado do estilo de vida desta sociedade consumista.

O facto de que futuramente seja descoberto um óptimo combustivel não resolve o problema, antes pelo contrário, vai aumentar o numero de estradas, o numeros de carros e acidentes, o numero de batalhas associadas a combustiveis, etc... porque nunca nos podemos esquecer que os capitalistas querem sempre, independentemente do tipo de combustivel, aumentar o seu lucro, seja a que custo for.

Infelizmente ninguem, ou quase ninguem questiona a génese do problema, que é a sociedade de consumo actual.

Se a sociedade de consumo não necessitasse, por puro luxo, de milhoes de barris de crude por dia, não teriamos estes problemas, como por exemplo, o aquecimento global.

As pessoas estão cegas, todo o trabalho, toda a metropole e todas as regras actuais fizeram-nas deixar de ver.

O problema não é dos gases que provocam o efeito de estufa, nem dos inocentes restos orgânicos com milhoes de anos (denominado crude), o problema é a sociedade de consumo, que não abdica nem pensa, infelizmente, porque não a deixam...


comentar
publicado por O-live, em 24.01.09 às 16:35link do post | favorito

Não existem pessoas importantes para a sociedade, toda sociedade é constituida por pessoas importantes.

André Oliveira


comentar
publicado por O-live, em 24.01.09 às 16:09link do post | favorito

5 de Novembro de 2008 foi um dia inesquecivel e importantissimo para o colectivo de estudantes nacionais do secundário.

Quer acreditem ou não, mais de 30.000 estudantes sairam para a rua nesse dia. Os alunos e alunas fecharam as portas da escola, fizeram concentrações em frente a escolas, câmaras municipais e em frente ao ministério da educção, pararam o transito, foram noticia em todos os jornais. Foi, até aos dias de hoje, um dos maiores dias de luta dos estudantes.

Além do ministério da educação da Sr.ª Maria de Lurdes Rodrigues ter vindo dar o dito por não dito sobre o estatuto do aluno, este dia, acima de tudo, transmitiu a unificação de todos os milhares de estudantes de Portugal contra as politicas executadas pelo Ministério.

5 de Novembro foi uma amostra dos estudantes descontentes, que deu para dar a entender que os alunos e alunas estão contra a maioria das politicas exercidas por este governo conservador, e que, como parte fundamental da sociedade, TÊM ALGO A DIZER e que NÃO SAO MEROS OBJECTOS ONDE ACTUAM AS POLITICAS EXERCIDAS!!!

 

A luta contra o estatuto de aluno, contra as (j)aulas de substituição, pela melhoria das condições materiais e humanas na escola, pela implemantação da educação sexual, contra a futura figura de director, contra a privatização do ensino, contra os constante ataques do Ministério e Concelhos Executivos ás Associações de Estudantes, pelos direitos e interesses dos estudantes não se faz só em 5'os de Novembro, faz-se todos os dias, passando a palavra e combatendo como cada um pode esta autentica desintegração da qualidade de ensino que o Ministério promove!

música: 9º sinfonia - Beethoven

comentar
publicado por O-live, em 24.01.09 às 14:59link do post | favorito

Lágrimas, sangue e suor ardente,

Imagens únicas de garras fortes,

Brotam por entre a sufocada mente

Empobrecida pelas tantas mortes.

 

Receoso, acorda lentamente,

Despertam-se e juntam-se os consortes,

Acorda assim essa massa, gente,

De dez milhões de irmãos querendo sortes.

 

E nesta epopeia até à vitória

Tempo onde o povo entra em acção,

Entra em definitivo na História.

 

Reclamando os direitos em razão,

Navegando para a glória,

A trote e a gritar: REVOLUÇÃO!

 

André Oliveira


comentar
publicado por O-live, em 24.01.09 às 11:13link do post | favorito

Sou estudante.

Assistimos nos tempos que correm, na ocidental praia lusitana, a um terrivel ataque à escola de Abril.

Estes governadores esquecem-se...

...esquecem-se que somos a futura sociedade...

...esquecem-se que temos direitos e interesses...

...esquecem-se de que, se os professores conseguiram juntar 120 mil... quantos é que nós não conseguiremos juntar?...

...esquecem-se de olhar para o passado, quando pensam que é impossivel outro Maio de 68... Um dos maiores erros da humanidade é pensar que o passado não se pode voltar a repetir...

...esquecem-se de olhar para o poder que os estudantes internacionais demonstram... e não é preciso ir muito longe... basta olhar para a revolta e resistência dos estudantes gregos face ao mal-estar socieal devido às politicas do executivo conservador...

...esquecem-se que somos MUITOS MUITOS MIL, PARA CONTINUAR ABRIL.

 

... e quando os estudantes portugueses acordarem para a realidade e descobrirem, ao mesmo tempo que descobrem as suas péssimas condições politicas de ensino, que formam parte de uma familia de mais de um milhao de irmãos, que sofrem dos mesmos problemas, lutam pelas mesmas causas e sonham juntos com um mesmo melhor destino... a partir do momento em que os estudantes acordarem... não pararão mais...


comentar
publicado por O-live, em 24.01.09 às 10:46link do post | favorito

Sou comunista. Defendo a revolução do proletariado face à classe exploradora, a burguesia. É inevitável a conclusão de que a sociedade actual se baseia e se corroi devido à presença da LUTA DE CLASSES.

Todavia, é também inevitável o declinio da burguesia, como podemos concluir com esta terrivel crise económica mundial, e a vitória do proletariado.

São nestas alturas em que o operário é cada vez mais espremido pelo seu explorador. O operário recebe cada vez menos e é obrigado a trabalhar cada vez mais, não que seja para se salvar da crise, mas é para o seu explorador se salvar da crise. Esta crise, como todos sabemos, não se deve a um mau trabalho dos explorados, deve-se, sim, ao mau trabalho, estupidez, ganancia e loucura dos capitalistas. A culpa é, como podemos certamente concluir, do sistema capitalista e dos seus aprendizes e gordos capitalistas modernos.

Com o declinio da burguesia, a vitória do proletário explorado ao longo de séculos é eminente.

Os operários unem-se e tomam uma mesma certa opinião: O sistema capitalista é irrefutávelmente o culpado da crise, do desemprego.

Ironia das ironias, a crise leva á união dos operários, e aí, a sua vitória na sociedade, se quiserem, é absoluta. Os operários têm o poder de mudar a sociedade mundial e alcançar o Socialismo, uma sociedade onde prevaleça a sociedade sobre o individuo, e não um punhado de individuos sobre a socieade, como acontece na sociedade capitalista. E é certo que nada nem ninguem consegue parar o proletariado unido, nem com a mais letal das armas, porque as ideias têm mais poder que as armas, por mais sofisticadas que as armas sejam.

 

Proletários de todos os países, UNI-VOS!


mais sobre mim
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22

26
27
28
29
30
31


arquivos
pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds